Dezembro Laranja, o mês de alerta sobre o câncer de pele

O último mês do ano, quando a presença do sol intenso passa a ser uma constante, foi designado como Dezembro Laranja, alertando sobre a necessidade de proteger-se dos raios solares UVA/UVB, comprovadamente responsáveis pelo câncer de pele. O verão se torna potencialmente mais perigoso, pois o tempo de exposição ao sol, com atividades ao ar livre, praia e piscina, aumenta consideravelmente, além da radiação solar no período incidir com mais intensidade sobre a Terra.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), há cerca de 135 mil novos casos de câncer de pele no Brasil ao ano, correspondendo a 25% de todos os diagnósticos de câncer feitos no país. Os mais frequentes são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares, e o mais agressivo, o melanoma. A principal causa de todos é a radiação ultravioleta, seja pela exposição excessiva ao sol, seja pelo uso de câmaras de bronzeamento, proibidas no Brasil, mas ainda utilizadas clandestinamente.

Como todos os tipos de câncer, quanto antes for diagnosticado e tratado, também o de pele apresenta menos riscos. Autoexames detalhados e frequentes e visita ao dermatologista sempre que houver alterações de tamanho, cor e/ou sensibilidade de pintas e sinais podem representar a detecção precoce do câncer, aumentando grandemente as chances de cura.

É importante ter em mente que os efeitos nocivos do sol sobre a pele são cumulativos e que 75% da radiação recebida durante toda a vida ocorre até os 20 anos de idade. Assim, habituar as crianças ao uso regular de protetor solar, adotando-o como rotineiro, é uma das melhores formas de prevenir o câncer de pele.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia faz algumas recomendações básicas, mas importantes, para evitar o câncer de pele. Confira.

  • - Evite a exposição solar entre 10h e 16h (horário de verão).
  • - Use filtro solar com fator de proteção igual ou superior a 15 no dia a dia, mesmo sem sol. Na praia ou em atividades ao ar livre, o fator de proteção deve ser superior a 30.
  • - Aplique 30 minutos antes de sair e repita a aplicação a cada duas horas. Se entrar na água ou suar muito, diminua o tempo entre uma aplicação e outra.
  • - Não se esqueça de aplicar o protetor em todos os pontos que ficarem expostos, como mãos, pés, orelhas e nuca.
  • - É muito importante proteger as cicatrizes com uma dose extra de produto. Quando novas, podem escurecer ao sol e, quando antigas, desenvolver tumores.
  • - No verão, use chapéu e roupas de algodão nas atividades ao ar livre. A fibra natural consegue reter até 90% da radiação, enquanto tecidos sintéticos, apenas 30%. Isso vale também para as barracas de praia, que devem ser de algodão ou lona.
  • - O uso de filtro solar em crianças é recomendado a partir dos seis meses de idade. Filtros físicos, como roupas e chapéu em algodão, devem complementar a proteção.
  • - Pessoas de pele escura ou negra estão mais protegidos, mas não totalmente livres dos riscos do câncer de pele, por isso, não devem dispensar filtros e precisam seguir todos os demais cuidados aplicados a quem tem pele clara.